De Porto Alegre a Jurerê: CFL lançará R$ 1 bi em imóveis de luxo no Sul

Construtora especializada em imóveis de luxo investe para aproveitar mudança no hábito de vida impulsionado pela covid-19

Empreendimento da CFL em Jurerê (SC): espaço e conforto para quem pode pagar (CFL/Divulgação)

Se os tempos são de ficar em casa, que seja com espaço e conforto. Ao menos, claro, para quem pode pagar. Os apartamentos e casas de alto padrão têm sido um dos setores que se beneficiaram das duras condições de isolamento social dos últimos meses. Para a construtora gaúcha CFL, especializada em imóveis de alto padrão, foi uma oportunidade de voltar a acelerar.PUBLICIDADE

A companhia com sede em Porto Alegre tem negócios também em Florianópolis, atendendo clientes de médio alto e alto padrão com imóveis comerciais e, sobretudo, residenciais. Este ano, se prepara para lançar oito empreendimentos, sendo cinco em Porto Alegre e três em Florianópolis. Num futuro próximo deve chegar também a Curitiba, fechando as capitais do Sul – e a ideia é não se aventurar muito além do terreno que conhece bem.

Luciano Correa, presidente da CFL, afirma que em 2021 a empresa voltará ao patamar que alcançou nos anos de auge do mercado mobiliário, entre 2010 e 2012, com 1 bilhão de reais em lançamentos ao ano. A diferença é que na época o mercado vivia uma onda de euforia, com dezenas de empresas abrindo capital na Bolsa e investindo fora de sua zona de conforto.

Segundo Correa, os anos de crise que culminaram na pandemia reforçaram a importância de uma estratégia e de uma proposta de valor claros. É por isso que a CFL não pretende ir além das três capitais do Sul, nem buscar mercados fora da alta renda.

“Com 1 bi a 1,2 bi em lançamentos por ano, conseguimos aliar escala e rentabilidade com projetos que tenham o nosso perfil. Buscamos fazer apartamentos com atmosfera de casa, integrados à natureza, para moradia ou para segunda residência”, diz o empresário.

Entre os novos empreendimentos está o Estância Residências do Golfe, que inclui apartamentos, hotel e escritórios, em Porto Alegre. Ou o Moradas do Canto, com unidades de até 622 metros quadrados na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, próximo a praias e à natureza.

Os lançamentos acontecem após anos de recolhimento da companhia, no auge da crise econômica de 2015 a 2018, quando a CFL focou em renovar o banco de terrenos para um novo ciclo de expansão. Este novo ciclo, na visão de Correa, tende a ser mais saudável para o mercado imobiliário. Os juros estão em mínimas históricas, e devem ficar baixos para os padrões brasileiros, o que tende a gerar uma onda positiva para quem quer investir ou trocar de imóvel. A concessão de crédito imobiliário, por exemplo, dobrou de 2018 para 2020 no Brasil, para a casa dos 120 bilhões de reais ao ano.

A região Sul, foco da CFL, vem crescendo acima da média brasileira nos últimos anos, o que reforça a confiança da companhia. Um ponto de atenção está nos imóveis comerciais, cujo futuro ainda é um grande ponto de interrogação. Uma prorrogação da pandemia, impactando o crescimento econômico e a confiança dos consumidores para além do primeiro semestre também podem jogar contra o mercado imobiliário.

Para Luciano Correa, o fato de poder passar por tempos turbulentos num campo de golfe em Porto Alegre ou com vista para o mar em Florianópolis é um atrativo incomparável. Seu perfil de clientes, afinal, sofre como todos os brasileiros nesta pandemia – mas tem poder aquisitivo para fazer bons negócios em meio à turbulência.

Fonte: Exame Negócios

About Luiza Melo

Check Also

Maior coleção de whiskys do mundo será leiloada em breve

Quem aprecia um bom whisky vai ficar com os olhos brilhando com essa notícia: a …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.